OZONIOTERAPIA: conheça os benefícios da prática integrativa que pode mudar a sua qualidade de vida

PRÁTICAS INTEGRATIVAS E COMPLEMENTARES


Considerada uma das maiores descobertas da história, a ozonioterapia surgiu em 1840, quando o gás ozônio foi descoberto pelo pesquisador alemão Dr. Christian Friedrich Schoenbein. Anosmais tarde, em 1857, o físico Dr. Werner Von Simens desenvolveu o gerador de alta frequência, aparelho que forma o gás ozônio em átomos de oxigênio por meio de descargas elétricas. Durante a Primera Guerra Mundial, os médicos alemães e ingleses utilizaram o ozônio para tratamento de feridas em soldados. Desde o século XIX, a ozonioterapia médica era usada na Alemanha, inicialmente para combater a ação de bactérias e germes na pele humana.


TRATAMENTO MÉDICO COMPLEMENTAR

De acordo com a Associação Brasileira de Ozonioterapia (Aboz), a técnica terapêutica estudada há séculos, utiliza a aplicação de uma mistura dos gases oxigênio e ozônio; ou seja, o ozônio medicinal, para ser usado no tratamento de dezenas de patologias, tanto de modo isolado como complementar. Seus resultados são comprovados, consistentes e com mínimos efeitos colaterais.

A ozonoterapia consiste na introdução de ozônio no organismo por vários métodos, geralmente envolvendo a mistura com gases e líquidos antes da injeção por via vaginal, retal, intramuscular, subcutânea ou intravenosa. O ozônio também pode ser introduzido por meio da auto-hemoterapia, na qual o sangue é retirado do paciente, exposto ao ozônio e, posteriormente, reinjetado.

Adotado há tempos por países desenvolvidos e com benefícios comprovados por inúmeros estudos, o ozônio tem excelentes propriedades medicinais, como: anti-inflamatórias, antissépticas, modulação do estresse oxidativo, melhora da circulação periférica e da oxigenação.

Muito além da medicina, o ozônio torna-se indispensável para aplicações em diversas áreas, como processos industriais, tratamento de águas, produção de alimentos, tratamentos estéticos e produção de gases e efluentes. A terapia tem sido proposta para o tratamento de várias doenças, incluindo câncer, AIDS, esclerose múltipla, artrite, doenças cardíacas, doença de Alzheimer e doença de Lyme (doença do carrapato).

GRANDES POTÊNCIAS INCORPORAM A OZONIOTERAPIA
Evidências científicas têm mostrado os benefícios do tratamento integrado entre medicina convencional e práticas integrativas e complementares. Reconhecida pelo sistema de saúde de nações mundo afora, inclusive no Brasil pelo SUS – Sistema Único de Saúde, a ozonioterapia é praticada nos cinco continentes, afirma a Associação Brasileira de Ozonioterapia. Seus benefícios comprovados são tantos que, na Alemanha, esse procedimento médico faz parte dos tratamentos pagos pelos seguros-saúde do governo. A seguir, veja como a ozonioterapia é colocada em prática em alguns países.

ALEMANHA
Os seguros-saúde cobrem esse tratamento desde os anos 1980. Anualmente, milhões de pacientes são tratados com a ozonioterapia, o que representa uma forma muito séria de reconhecimento do método. Aproximadamente 15 mil médicos utilizam o método na Europa atualmente, e, somente na Alemanha, são realizados sete milhões de tratamentos anualmente. Na década de 1980, a Sociedade Médica Alemã de Ozonioterapia elaborou estudo para avaliar a segurança da ozonioterapia. Participaram 644 praticantes de ozonioterapia, envolvendo 384.775 doentes, em que foram
realizados 5.579.238 tratamentos. Somente 40 casos com efeitos colaterais discretos e quatro óbitos foram observados, sendo a ozonioterapia considerada, desde então, a mais segura de todas as terapias médicas.

No Brasil, aplicação de ozônio na odontologia

BRASIL
Em 2018, pacientes do SUS foram beneficiados com dez novas práticas integrativas e complementares. Entre elas, aromaterapia, cromoterapia, terapia de florais, constelação familiar e a ozonioterapia. Segundo o SUS, a mistura dos gases oxigênio e ozônio por diversas vias de administração com finalidade terapêutica promove melhoria de diferentes doenças. Hoje, é usado também na odontologia, neurologia, oncologia e medicina veterinária.

ESTADOS UNIDOS
Atualmente, a ozonioterapia já é praticada em 32 Estados norte-americanos.

ESPANHA
Gradativamente incorporada aos hospitais públicos, a ozonioterapia vem sendo utilizada de maneira complementar em tratamentos do câncer.

ITÁLIA
A ozonioterapia é recomendada pelo governo para tratamentos de hérnia de disco e lombalgia.

RÚSSIA E UCRÂNIA
É aprovada pelo Ministério da Saúde e amplamente utilizada nos hospitais do governo.

BENEFÍCIOS DA OZONIOTERAPIA

“Aquele que não tem tempo para cuidar da saúde terá de arranjar tempo para cuidar da doença”, Dr. Lair Ribeiro
Formado em Medicina há mais de 45 anos, cardiologista, mestre em cardiologia pela PUC-RIO, nutrólogo pela Associação Brasileira de Nutrologia (ABRAN) e Associação Médica Brasileira, o Dr. Lair Ribeiro residiu durante 17 anos nos Estados Unidos, período em que trabalhou em três universidades americanas: Harvard Medical School, Baylor College of Medicine e Thomas Jefferson University. Nesse período, também exerceu os cargos de diretor-médico na Merck Sharp & Dohme e diretor-executivo, alcançando a vice-presidência, na Ciba Corporation, hoje Novartis. Autor de mais de 100 trabalhos científicos, também publicou 38 livros.

O Dr. Lair Ribeiro já concedeu inúmeras entrevistas para abordar os benefícios do ozônio. Segundo o médico, o ozônio trata 236 enfermidades na medicina há mais de cem anos, sem oferecer nenhum tipo de efeito colateral. “O resultados são os mais fantásticos possíveis. Não conheço nenhuma intervenção que seja tão eficaz quanto o ozônio”, garante. Dr. Lair afirma que a adição de ozônio na água de uma banheira, por exemplo, em diferentes temperaturas e indicações, chamada de hidro-ozonoterapia, pode ajudar no rejuvenescimento, firmeza e elasticidade da pele, tratamento de acne, queda de cabelo, celulite, aceleração de cicatrização, entre muitos outros benefícios. O ozônio no campo estético tem propriedades estimulantes, cicatrizantes desinfetantes, bactericidas, fungicidas, hidratantes e tonificantes.

CURSO ONLINE
Em seu site, www.lairribeiro.com.br, é possível adquirir a vídeo-aula OZONOTERAPIA – Uma nova & antiga terapêutica médica (*R$ 150). O descritivo afirma que “Médicos buscam terapias que sejam seguras, eficazes e que apresentem um bom custo-benefício para os nossos pacientes. Com base nessa afirmativa, ozonoterapia é
uma ótima opção”. Esse material lhe apresentará, de forma didática e objetiva, princípio e aplicações da ozonoterapia em diversas enfermidades infecciosas e degenerativas, com inúmeras referências bibliográficas.
https://lairribeiro.com.br/catalogo/ozonoterapia-uma-nova-antiga-terapeutica-medica-copia-payperview/

MÉTODO ACESSÍVEL
De aplicação simples, desde que feita por um profissional de saúde qualificado, a Ozonioterapia também traz baixo custo para os consultórios, devido ao valor acessível dos equipamentos e  insumos. Em seu site, a Associação Brasileira de Ozonioterapia destaca os principais benefícios da terapia:

● Liberação de óxido nítrico (vasodilatação)
● Modulação do sistema imunológico
● Otimização da drenagem linfática
● Efeito lipolítico (decomposição química de gorduras no organismo)
● Liberação de fatores de crescimento, ou regeneração
● Efeito germicida (bactericida, fungicida e viricida)
● Regulação do metabolismo e das funções hepática, renal e tireoidiana
● Estímulo da síntese de enzimas antioxidantes intracelulares
● Melhora da liberação de oxigênio nos tecidos, além da reologia
● Modulação da cascata inflamatória
● Importante terapia complementar no tratamento do câncer, pois reduz consideravelmente os efeitos colaterais da Quimioterapia e da Radioterapia.

OZÔNIOTERAPIA EM ALPHAVILLE
Esteticista há 20 anos e sempre atenta aos últimos lançamentos do setor, Claudiane Jamas Dias, decidiu estudar ozonioterapia. Habilitada a usar a prática na clínica estética que leva o seu nome, localizada em Alphaville, a profissional explica os benefícios da prática integrativa. “O uso frequente da ozonioterapia contribui para melhorar o sistema imunológico. O procedimento é minimamente invasivo e apresenta bons resultados na melhora da ativação circulatória, celulite, gordura localizada, flacidez, estrias, rugas, alopecia, hipertrofias, acne, rugas, entre muitos outros casos”, ressalta. e-mail: claudianejdias@gmail.com | Tel.: (11) 98176-2942

OZONIOTERAPIA PODE SER UM ALIADO NO COMBATE AO CORONAVÍRUS

Cientistas de todo o planeta trabalham incansavelmente para tentar descobrir anticorpos que possam ser eficientes no tratamento do coronavírus (Covid-19), doença infecciosa que já atingiu
mais de um milhão de pessoas em dezenas de países. Recentemente, a Sociedade Brasileira de Ozonioterapia Médica (Sobom) publicou uma nota de repúdio direcionada à TV Globo. “A emissora
afirmou que o combate ao coronavírus (Covid-19) com ozonioterapia trata-se de ‘fake news’, o que, além de não ser verdade, configura um verdadeiro desserviço à população brasileira, que pode
vir a se beneficiar imensamente desta técnica em um momento tão delicado e crucial como o que o mundo está vivendo”, ressalta a Sobom.

A seguir, confira mais um trecho da nota, assinada pela médica e presidente da Sobom, Dra Maria Emilia Gadelha Serra (Cremesp 63451). “A ozonioterapia vem sendo usada neste exato
momento na China com resultados promissores e inúmeros desdobramentos, tanto para seu uso tópico, devido às suas propriedades germicidas amplas (inclusive com ação antiviral), capaz de
fazer desinfecção e até mesmo esterilização de superfícies – para apontar apenas alguns dos benefícios do ozônio. Esse gás é o quarto oxidante mais potente conhecido, o que torna a água
ozonizada capaz de substituir o desinfetante que contém cloro para descontaminar os óculos de proteção da equipe de saúde, mais seguros e livres de poluição secundária, evitando o efeito irritante desagradável do cloro na face, por exemplo.

Vários hospitais em países da Europa profundamente atingidos pela epidemia – como Espanha, Itália, Portugal – estão aceitando os projetos de pesquisa experimentais para testar a ozonioterapia
contra Covid-19, uma vez que todos os tratamentos até o momento não apresentam evidências científicas consolidadas. Os principais efeitos benéficos da ozonioterapia são a atividade moduladora da inflamação, a melhora expressiva da oxigenação nos tecidos de maneira sistêmica, em combinação com a indução da ativação de anticorpos e da produção endógena de interferons, moléculas
sinalizadoras que ajudam a estruturar a resposta imunológica de combate a diversos tipos de vírus.

Estamos atentos às expressões e atitudes desta natureza e não toleraremos, em nenhuma hipótese tais práticas, sobretudo pelo fato de a ozonioterapia se tratar de um procedimento médico
seguro e eficaz, já utilizado como tal em cerca de 50 países em todo o planeta. A população brasileira não pode ser privada do acesso à ozonioterapia no sistema público de saúde – agora, mais do que nunca, se faz imperiosa tal possibilidade terapêutica. Os médicos associados da Sobom encontram-se à disposição para o que se fizer necessário”.

ITÁLIA AUTORIZA O USO DE OZÔNIO NO TRATAMENTO DO COVID-19
Em recente artigo publicado no site italiano Orbisphera, assinado pelo diretor editorial Antonio Gaspari, ele afirma que “em carta enviada em 24 de março à Sociedade Científica de Ozônio de Oxigênio (Sioot), o Secretariado Científico do Presidente do Istituto Superiore di Sanità (ISS) ‘considera apropriado’ usar a ozonioterapia para o tratamento de pessoas que testaram positivo
para Covid-19”. Confira os principais trechos.

A TERAPIA COM OZÔNIO PODE SER USADA PARA TRATAR PESSOAS QUE TESTARAM POSITIVO PARA COVID-19
Nessa carta, declara-se que a proposta do protocolo Sioot para um possível uso da oxigenoterapia com ozônio “no tratamento da pneumonia intersticial por coronavírus, foi cuidadosamente avaliada por alguns especialistas da ISS”.

“Os dados realmente disponíveis em comparação com a indicação proposta – continua a carta – consistem essencialmente em demonstrar a eficácia do ozônio na morte do vírus da Sars em células
de macacos e na experiência clínica do benefício encontrado em pacientes com broncopneumonia”.

Após avaliar possíveis insights, na carta assinada pelo dr. Luigi Bertinato, chefe do Secretariado Científico do Presidente, completa o médico: como a proposta de uso do ozônio com oxigênio “é apoiada por centros clínicos com experiência no tratamento de pneumonia viral, o Istituto Superiore di Sanità considera apropriado que o tratamento seja realizado, após a obtenção do
consentimento informado do paciente, por médicos com experiência específica e com a disponibilidade de instrumentos adequados, conforme descrito em detalhes no próprio protocolo “.

No passado, o Conselho Superior de Saúde também se encarregou de coletar informações sobre os problemas relacionados ao uso da terapia com oxigênio e ozônio.

Em carta do Ministério da Saúde – enviada aos Conselheiros de Saúde regionais e provinciais, sob o comando do NAS Carabinieri de Roma e aos Comissários Governamentais das Regiões e Províncias – está escrito que «O Conselho Superior de Saúde, na sessão de 23 de julho de 1992, realizou uma revisão da literatura nacional e internacional sobre o assunto e, em particular, de alguns dos trabalhos científicos mais recentes publicados em periódicos acessíveis através do Medline “.

A carta reitera que “a atividade antibacteriana e antiviral do tratamento com ozônio com oxigênio foi verificada em relação ao sangue usado para transfusão e produtos sanguíneos”.

NO PEDIDO PARA USO DA TERAPIA DE OXIGÊNIO E OZÔNIO, A SIOOT LEMBROU QUE:
• de acordo com os resultados de um experimento realizado na China no laboratório nacional P3 liderado pelo professor Li Zelin, o ozônio se mostrou eficaz na morte do vírus da SARS inoculado nas células renais de macacos verdes, atingindo uma taxa de morte de 99,22%;

• o vírus descoberto em Wuhan e o vírus Sars pertencem à linhagem de coronavírus. Os pesquisadores descobriram que o Covid-19 é 80% semelhante ao vírus da Sars. Portanto, é razoável prever que o ozônio possa ser igualmente eficaz na prevenção e controle do novo coronavírus;

• os médicos da Sioot trataram muitos pacientes com broncopneumonia com a terapia de ozônio com oxigênio Sioot. Os resultados da terapia com ozônio foram excelentes. A duração da doença
foi reduzida e uma rápida recuperação da hipoxemia e do quadro radiológico foi encontrada nos pacientes. Além disso, a prática com oxigênio de ozônio proposta pelo Sioot não é incompatível
com outras terapias medicamentosas.

A Sioot informou que, até o momento, pelo menos dez centros hospitalares já estão usando oxigênio-ozônio no tratamento de pacientes positivos para covid-19. Os hospitais estão localizados no Piemonte, Lombardia, Emília-Romanha, Vêneto e Lácio. A esse respeito, a Sioot comprometeu-se a comunicar os primeiros resultados clínicos de hospitais que praticam a ozonioterapia dentro de 40 dias ao Istituto Superiore di Sanità.

Fonte: www.orbisphera.org

 

Comentários

WORDPRESS: 2
  • comment-avatar

    Muito boa as dicas 🙂

  • comment-avatar

    Genteeee que loucura kkk isso realmente funciona 🙂

  • Já está indo embora :´(
    Assine nossa newsletter antes, e receba as noticias de Alphaville e região ; )