28º ESPECIAL MERCADO IMOBILIÁRIO | A HORA DA VIRADA CHEGOU

Crescimento nas vendas e nos lançamentos, queda nos juros, maior oferta de crédito e aumento na contratação de mão de obra são alguns dos fatores que impulsionam a retomada do mercado imobiliário em todo o país. Alphaville e região acompanham os bons índices do setor

Em ritmo de EXPANSÃO


Segundo dados do Secovi-SP, o sindicato do mercado imobiliário, somente em São Paulo, cerca de 40 mil imóveis foram vendidos entre agosto de 2018 e agosto de 2019, o que representa aumento de 40% na comparação com o mesmo período do ano anterior. Outro dado interessante é que a principal demanda tem sido a comercialização de imóveis residenciais de dois dormitórios, ou seja, tudo leva a crer que mais famílias têm investido na aquisição do imóvel próprio.

Andam juntos na mesma esteira de crescimento os lançamentos de novos produtos, consequentemente responsáveis pela alta na geração de empregos, como demonstra o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados – Caged. Dos 760 mil empregos gerados neste ano, 116 mil foram somente na construção civil. A cidade de São Paulo segue na liderança, sendo o maior mercado imobiliário do País. Dados do Secovi-SP demonstram que, em 2018, os lançamentos somaram 32,8 mil apartamentos na cidade para um total de 98,6 mil distribuídos por todo o Brasil.

SEGUNDO SEMESTRE AQUECIDO
A Pesquisa do Mercado Imobiliário, realizada pelo departamento de Economia e Estatística do Secovi-SP, apurou em agosto a comercialização de 4.405 unidades residenciais novas na capital paulista. O resultado foi 34,1% superior ao total apurado em julho (3.284 unidades) e 70,7% acima das vendas de agosto de 2018 (2.581 unidades). Dados da Empresa Brasileira de Estudos de Patrimônio – Embraesp mostram que, em agosto deste ano, a cidade de São Paulo lançou 6.064 unidades residenciais, volume 70% acima do mês de julho (3.567 unidades) e 158% superior ao apurado em agosto do ano passado (2.350 unidades).

Em suma, o mercado imobiliário da cidade de São Paulo registrou quantidade recorde de lançamentos e vendas no mês de agosto, com 6.064 unidades lançadas e 4.405 unidades comercializadas. No acumulado de janeiro a agosto de 2019, foram lançadas 28.013 unidades e vendidas 26.434 unidades, o melhor resultado acumulado da série da pesquisa, iniciada no ano de 2004. “A expectativa é que as vendas acompanhem esse mesmo ritmo”, ressalta Celso Petrucci, economista chefe do Secovi-SP. “Historicamente, muitas empresas lançam produtos no último trimestre do ano. Com o pagamento do 13º salário, a queda nos juros e o estímulo do crédito, a tendência é de aumento na realização de novos negócios, o que deve favorecer ainda mais os bons índices da indústria imobiliária”, afirma à reportagem Reinaldo Fincatti, diretor da Embraesp.

A aprovação da reforma da Previdência no Congresso, a inflação sob controle e a redução de juros do crédito imobiliário contribuem para a retomada expressiva do setor. E o mercado segue cada vez mais otimista. A seguir, apresentamos os principais motivos.

PIB positivo – Após dois trimestres consecutivos registrando queda, a construção civil voltou a crescer. De acordo com o resultado do Produto Interno Bruto (PIB) divulgado em 29 de agosto pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE, o setor apresentou alta de 1,9% de abril a junho em relação ao trimestre anterior. Nesse mesmo período, a economia nacional cresceu 0,4%, o que indica que o País não está em recessão técnica.

Caixa reduz os juros – Neste ano, a Selic, a taxa básica de juros da economia brasileira, atingiu o menor patamar da história, de 5,5% para 5% ao ano. Apesar de o impacto ser pouco expressivo no bolso do consumidor, as operações de crédito podem ficar ligeiramente mais baratas. Em outubro, a Caixa Econômica Federal também anunciou a redução das taxas de juros para financiamentos imobiliários com recursos do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo – SBPE. Foi a terceira redução nesse item promovida pela Caixa somente em 2019. A taxa efetiva mínima para imóveis residenciais enquadrados nos Sistema Financeiro de Habitação – SFH e Sistema Financeiro Imobiliário – SFI será de TR + 6,75% ao ano; e a taxa máxima, de TR + 8,50% ao ano. As novas condições valem para novos contratos e estarão vigentes a partir do dia 6 de novembro. “Esses movimentos de redução de juros permitem a ampliação do acesso à moradia pela prática de preços mais competitivos, além de apoiarem o setor produtivo da construção civil com todos os efeitos multiplicadores que tem na geração de emprego e renda”, destacou Pedro Guimarães, presidente da Caixa Econômica Federal.

Bradesco na liderança – Entre os bancos privados, atualmente, o crédito imobiliário oferecido pelo Bradesco possui os juros mais baratos do mercado, a partir de 7,30% + TR. De janeiro a agosto deste ano, entre aquisição e construção, o Bradesco desembolsou 11,6 bilhões de reais, alcançando a liderança entre as instituições financeiras privadas do mercado em 2019. Hoje, o cliente consegue financiar até 80% do valor do imóvel, comprometendo, no máximo, 30% de sua da renda líquida sobre o valor das prestações. O banco oferece prazo de até 360 meses para o financiamento, além de permitir a utilização do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço – FGTS.

Crédito segue em alta – Os financiamentos imobiliários com recursos das cadernetas do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo – SBPE atingiram 7,59 bilhões de reais em setembro, maior resultado mensal desde maio de 2015, aponta o mais recente Boletim Informativo da Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança – Abecip. Nos primeiros nove meses de 2019, foram aplicados 54,7 bilhões de reais na aquisição e construção de imóveis com recursos do SBPE, elevação de 34,1% em relação a igual período de 2018.

Horizonte promissor – No fim de agosto, a Câmara Brasileira da Indústria da Construção – CBIC divulgou a mais recente rodada dos Indicadores Imobiliários Nacionais, que apontaram crescimento de 96% no número de lançamentos residenciais no Brasil no segundo trimestre de 2019 em relação aos três primeiros meses do ano. Em comparação ao mesmo período do ano anterior, a alta foi de 11,8%. Já as vendas de imóveis residenciais novos foram 16% superior nos meses de abril, maio e junho deste ano em comparação ao mesmo período de 2018. Vale ressaltar que a CBIC mantém a expectativa de crescimento para o setor, que deve variar entre 10% e 15% nos lançamentos e nas vendas de imóveis em 2019 em relação a 2018.

BARUERI E SANTANA DE PARNAÍBA ENTRE AS MELHORES
No último dia 10 de outubro, a Viva S/A antecipou, em primeira mão, os dados publicados com exclusividade pela revista Exame do ranking 2019 das 100 melhores cidades, com população acima de 100 mil habitantes, para investir em negócios no Brasil. No sexto levantamento feito pela consultoria Urban Systems, Barueri e Santana de Parnaíba figuravam novamente no ranking dos municípios brasileiros que oferecem as melhores condições para investir e empreender – em quarto e vigésimo lugares, respectivamente. A cidade de São Caetano do Sul, SP, ocupa o topo do ranking, que analisou 27 indicadores, agrupados em desenvolvimento econômico, capital humano, desenvolvimento social e infraestrutura. “As empresas querem se instalar em lugares com profissionais qualificados, boa infraestrutura e qualidade de vida elevada”, afirma à Exame Thomaz Assumpção, presidente da Urban Systems.

TENDÊNCIA DE CRESCIMENTO NA REGIÃO
Por falar em negócios, poucas pessoas em Alphaville conhecem tão bem o mercado imobiliário da região quanto Raphael Rocha, o “Sampa”. Fundador da SF Brokers, especializada em intermediação imobiliária na região Oeste da Grande São Paulo, com cerca de 300 corretores, a empresa acumula mais de duas mil unidades comercializadas. Sampa afirma que Alphaville e região figuram entre os lugares mais desejados pelo consumidor na hora de fechar um negócio imobiliário, e motivos para isso não faltam, a começar pela boa infraestrutura oferecida nas cidades de Barueri e Santana de Parnaíba. “Hoje, o preço médio do metro quadrado de um imóvel residencial vertical na região de Alphaville está na casa dos 7.500 reais. Já um imóvel similar em bairros como Itaim e Vila Nova Conceição, em São Paulo, tem chegado a 28 mil reais”, avalia. Outro movimento que Sampa tem observado é o aumento na procura por casas. O empresário também afirma que pesquisas feitas em estandes de vendas no bairro demonstram que muitos clientes estão em busca de imóvel residencial horizontal. “Existe uma considerável demanda reprimida de pessoas que buscam a casa como primeira opção. Como a grande maioria dos imóveis residenciais de Alphaville é de alto padrão ou antigos demais, há os que preferem investir em apartamento, e outros que persistem na busca de casa ou terreno”, revela. De olho nessa tendência, Sampa lançou, há cerca de dois meses, um novo braço em sua empresa, a “SF Casas sob Medida”, operação que planeja e executa obras residenciais em até 12 meses, além de viabilizar o financiamento bancário. “O cenário da região segue otimista. Os recentes índices positivos do mercado nacional são muito bons, porém, posso assegurar que, por aqui, a tendência de crescimento será ainda maior”, finaliza.

O que há de novo por aqui
Mesmo com características de uma metrópole, que vislumbra um grandioso polo empresarial, tecnológico e logístico, ampla rede de serviços, centros de compras e lazer, Alphaville, Tamboré e Aldeia da Serra jamais perderam sua vocação de oferecer qualidade de vida, proximidade com a natureza, preservação das belezas naturais e segurança a seus moradores e usuários. O conceito criado na região pela Alphaville Urbanismo, a partir da década de 1970, foi propagado pelos quatro cantos do País.

No início da década de 1980, o empresário Neuman Storto, NLS Incorporadora, foi pioneiro ao construir um edifício em Alphaville, o Mirage e, desde então, lá se foram mais de quatro décadas dedicadas ao mercado imobiliário, com inúmeros empreendimentos residenciais e comerciais idealizados na comunidade. Ao longo dos últimos anos, a paisagem da região tem sido transformada para melhor e o progresso, em muitos aspectos, é evidente, e com produtos imobiliários para todos os públicos.

ÁPICE PARK – Palavras de ordem no novíssimo lançamento da CNL: muito lazer, conforto e bem-estar. Localizado no Green Park, região que mais cresce em Alphaville, o empreendimento traz uma nova perspectiva de morar perto do trabalho e da natureza, com apartamentos de 52 metros quadrados, com dois dormitórios e vaga na garagem, varanda gourmet e lazer completo. A partir de 249 mil reais, com condomínio mensal de 250 reais. www.apicepark.com.br.

ALPHAHOUSE I – Quem mora em Alphaville ou frequenta o bairro sabe que a região se tornou um verdadeiro canteiro de obras residenciais e comerciais nos últimos anos, com ênfase aos arranha-céus, que dominam o cenário. Há pelo menos uma década o bairro não lançava condomínio de casas. No ano passado, a Módena Incorporadora e a Cipel Construtora se uniram para lançar uma grande novidade: o empreendimento residencial AlphaHouse I. O projeto disponibiliza casas design de 152 e 214 metros quadrados, com três a quatro suítes e até três vagas de garagem, seguindo a linha arquitetônica contemporânea, com ruas largas, calçadas e fiação subterrânea. Com infraestrutura completa de lazer e segurança, o AlphaHouse I terá academia, salão de festas, playground e piscina de fundo infinito cinematográfica. www.alphahouse1.com.br.


CANVAS HIGH HOUSES
– Com projetos icônicos construídos na região, a NLS Incorporadora e a construtora CNL lançaram o visionário empreendimento de alto padrão Canvas High Houses, com apartamentos de 282 a 338 metros quadrados. Localizado no coração de Alphaville, o projeto reconstrói o conceito de apartamentos e oferece uma experiência única ao levar a sensação de morar em casa para um condomínio vertical, com varandas de até 53 metros quadrados. www.canvasalphaville.com.br.

EKKO GROUP – Recentemente a Ekko Group, que possui inúmeros projetos residenciais na Granja Viana e em Osasco, anunciou a construção de um condomínio residencial horizontal na região de Tamboré. Há uma placa no terreno anunciando a chegada de um novo empreendimento. Procurada pela reportagem, a empresa informou que até o momento não há detalhes definidos sobre o projeto www.ekkogroup.com.br.

FIORI ALPHAVILLE – Localizado em frente ao Parque 18 do Forte, 55% do primeiro prédio residencial com fachada verde do bairro, concebido pela Módena Incorporadora e a Cipel Construtora, foi vendido em apenas dois dias. Com apartamentos de 40 a 63 metros quadrados, de um a dois dormitórios, além de uma vaga na garagem, destaque para as áreas de uso comum, entre elas, churrasqueira, lavanderia, bar gourmet, salão de festas, pet care, bicicletário, academia, home-office com wi-fi, piscina climatiza com raia de 25 metros, SPA e salão de festas. www.fiorialphaville.com.br.

ORIGEM – Em setembro deste ano, a construtora e incorporadora MPD Engenharia, em parceria com a Helbor, lançou o empreendimento de casas de alto padrão Origem, em Tamboré. O residencial vai abrigar 63 casas não geminadas de 200 metros quadrados, com três suítes e duas vagas cobertas, com vista privilegiada para a Reserva Biológica Tamboré. www.origemmpd.com.br.

Comentários

WORDPRESS: 0
Já está indo embora :´(
Assine nossa newsletter antes, e receba as noticias de Alphaville e região ; )